Gostar de natureza, água, praia e tudo o que se relaciona a esse universo é apenas o primeiro passo para quem pensa em ser um biólogo marinho. Essa é uma profissão complexa, que exige do estudante gosto pela pesquisa, cuidado com o meio ambiente e dedicação exclusiva.

Com mais de 71% do planeta ocupado pelas águas, imagine o que ainda falta descobrir sob elas! Então, se você se interessa por essa área, saiba mais sobre o curso de Biologia Marinha, onde estudar, como é a profissão e quanto ganha esse profissional. Venha conosco!

O que é Biologia Marinha? 

Na hora de escolher o curso, muitos estudantes se perguntam se devem buscar uma formação mais geral, que se traduz em uma variedade maior de áreas de atuação depois de formado, ou um curso bem específico, o qual pode restringir o mercado de trabalho, mas amplia as chances de contratação.

Esse é o caso do curso de Ciências Biológicas. Em uma área tão ampla, é de se prever que existam várias especialidades ainda no nível da graduação. Dessa forma, a Biologia Marinha é uma subdivisão da Biologia que forma profissionais preparados para lidar com os ecossistemas de água salgada, lacustre e fluvial — incluindo, claro, os organismos que vivem neles.

Biologia Marinha ou Oceanografia?

As duas graduações são bem parecidas, embora haja diferenças no objetivo do curso e no perfil do profissional. A Oceanografia (ou Ciências do Mar) é uma ciência nova, mas mais independente da Biologia do que a Biologia Marinha.

Sua formação é mais longa (5 anos) e está no campo das Ciências Exatas e da Terra, enquanto a Biologia Marinha integra a grande área de Biológicas.

Curso de Biologia Marinha

A graduação em Biologia Marinha conta com disciplinas mais gerais nos primeiros períodos. À medida que o curso avança, o estudante vai se aprofundando em tópicos específicos da área. Conheça as disciplinas obrigatórias do curso de Biologia Marinha da UFRJ:

  • Botânica;
  • Metodologia Científica;
  • Biologia Geral;
  • Introdução à Zoologia;
  • Complementos de Química;
  • Complementos deMatemática;
  • Embriologia Geral;
  • Histologia;
  • Física para Ciências Biológicas;
  • Elementos de Ecologia;
  • Diversidade de Diploblásticos e Protostômios;
  • Estatística;
  • Ecologia Básica;
  • Genética Básica;
  • Biologia Marinha Básica;
  • Diversidade de Protostomia;
  • Bioquímica;
  • Biofísica;
  • Evolução;
  • Biologia de Microrganismos;
  • Diversidade de Deuterostomia;
  • Ecossistemas Marinhos;
  • Técnicas de Trabalho no Mar;
  • Técnicas Básicas em Biologia Marinha;
  • Fitoplâncton Marinho;
  • Zooplâncton Marinho;
  • Nécton;
  • Benthos.

Essas disciplinas totalizam 2.655 horas. Além delas, o aluno precisa cumprir 300 horas de disciplinas optativas, dentre as quais, destacamos:

  • Biotecnologia Ambiental;
  • Licenciatura Ambiental;
  • Ecossistemas Marinhos;
  • Estrutura e Dinâmica dos Oceanos;
  • Ecologia Microbiana Marinha;
  • Aquacultura.

Para obter o grau de bacharel em Biologia Marinha, é preciso, ainda, desenvolver uma pesquisa na área e entregar uma monografia (TCC).

O foco dos estudos são os seres vivos e os fósseis marinhos, ao passo que a Oceanografia estuda mais os aspectos físicos e químicos dos ecossistemas aquáticos.

Biologia Marinha: faculdade

Não são muitas as faculdades de Biologia Marinha no país. Elas se concentram no Sul e Sudeste e exigem dedicação integral do estudante.

Nas Faculdades Integradas Maria Thereza (FAMATH), em Niterói (RJ), havia a graduação em Biologia Marinha desde 1979. Hoje, o curso oferecido é de Ciências Biológicas, tanto licenciatura quanto bacharelado, com ótima avaliação pelo MEC.

O mesmo fato ocorreu na Universidade Federal Fluminense (UFF), que, antes, ofertava Ciências Biológicas com habilitação em Biologia Marinha. Atualmente, são oferecidas as duas modalidades (licenciatura e bacharelado) de Ciências Biológicas, também em Niterói, sem a habilitação citada.

Biologia Marinha UDESC

A Fundação Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) fez o caminho contrário: passou do curso generalista para a especificação em Biologia Marinha. A Faculdade de Biologia Marinha fica em Laguna (SC), apenas para a formação de bacharéis.

Biologia Marinha UFRJ

Uma das melhores universidades do país, a Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem o curso mais tradicional na área: forma profissionais de Ciências Biológicas desde 1939! Porém, a formação específica em Biologia Marinha teve início em 1983.

O estudante que opta pelo bacharelado em Ciências Biológicas pode escolher entre:

  • Biologia Marinha;
  • Biologia Vegetal;
  • Ecologia;
  • Genética;
  • Zoologia.

O curso tem duração de 8 semestres e é, assim como os anteriores, 100% presencial.

Especialização em Biologia Marinha

Dissemos, acima, que a graduação é presencial, mas, se você quiser fazer a especialização a distância, é possível. Em Guarulhos, o Centro Universitário FAVENI (UniFAVENI) tem 300 vagas para essa formação, com carga horária de 620 horas, cumpridas em 3 meses.

Outras faculdades que oferecem pós-graduação em Biologia Marinha no país:

  • Centro Universitário Módulo (MÓDULO), em Caraguatatuba (SP);
  • Faculdade Frassinetti do Recife (FAFIRE), em Recife (PE);
  • Faculdades Integradas Espíritas (FIES), em Curitiba (PR);
  • Universidade Iguaçu (UNIG), em Nova Iguaçu (RJ): Biologia Marinha e Conservação do Meio Ambiente.

O que faz um biólogo marinho?

conchas biologia marinha

Talvez você pense que um biólogo marinho passe o dia todo no mar, mergulhando e desfrutando de belas paisagens. Nada disso! O trabalho, mesmo quando realizado nos oceanos, é árduo!

Grande parte dos profissionais cumpre sua função em laboratórios, em terra firme. Do fitoplâncton às baleias, há inúmeras espécies a serem estudadas e, acredite, descobertas!

Mercado de trabalho

Antes de entrar no mercado, é preciso se registrar no Conselho Federal de Biologia (CFBio). Para o biólogo marinho, as principais áreas de trabalho são empresas públicas ou privadas que atuam em:

  • pesquisa científica;
  • controle ambiental e sustentabilidade;
  • biotecnologia.

É comum que essa área atue em parceria com gestores e engenheiros ambientais, geógrafos e demais pesquisadores preocupados com a preservação dos ambientes marinhos e suas espécies, tão ameaçadas hoje por poluição, pesca predatória e mudanças no clima, o que causa distúrbios e até mesmo extinção de espécies.

Outra área é a pesquisa acadêmica. O profissional pode dar aulas na graduação e em especializações e acompanhar o desenvolvimento de pesquisas na própria universidade ou, ainda, em parceria com instituições de outros países.

Biologia Marinha: salário

Há um projeto de lei em votação que sugere que o piso salarial do biólogo seja de 5 salários mínimos para uma jornada de 36 horas semanais. Entretanto, os valores praticados são outros. Segundo o site Salário, a média salarial do biólogo é de R$ 3.438,51.

Muitos fatores interferem nesse valor, como tempo de experiência, cargo ocupado e local de trabalho.

Curtiu saber de todas essas informações? É comum ter em mente várias opções de carreira, e nem sempre é fácil se decidir por uma. Continue pesquisando sobre aquelas que lhe interessam e faça um teste vocacional para ajudar a ter certeza de que está no caminho certo!

Você pode gostar também