Um dos cursos de engenharia mais tradicionais, a Engenharia Elétrica atualmente é o sonho de muitos vestibulandos. Focada, basicamente, em conceitos aprofundados de matemática e física, vale destacar que essa graduação é oferecida em grande parte das universidades federais do Brasil.

Mesmo sendo uma área bem conhecida no meio estudantil, poucas pessoas sabem, de fato, do que a Engenharia Elétrica trata. 

Por esse motivo, preparamos um post explicando tudo sobre o curso de Engenharia Elétrica, abordando tanto questões da universidade (grade curricular, notas de corte, duração, pós-graduação) quanto aspectos do mercado de trabalho. Boa leitura!

Curso de Engenharia Elétrica

Elaborado para que o aluno se forme em 5 anos (ou 12 semestres letivos), esse curso tem como objetivo preparar o estudante para:

  • projetar sistemas elétricos residenciais e industriais;
  • elaborar e desenvolver soluções para o setor energético (principalmente questões ligadas com a eficiência de transmissões);
  • realizar manutenções em redes elétricas industriais;
  • garantir o funcionamento adequado dos diversos sistemas elétricos de uma empresa.

Além disso, é preciso destacar as possibilidades que essa formação dá para o estudante de seguir uma carreira acadêmica, já que esse profissional é apto para dar aulas em cursos técnicos e profissionalizantes em qualquer área relacionada à elétrica.

Engenharia Elétrica: o que faz?

Como já destacamos, se o profissional da elétrica optar por ir para o mercado de trabalho, desempenhará variadas atividades para elaboração, desenvolvimento e manutenção de sistemas e redes elétricas industriais.

Já para quem escolher a carreira acadêmica, lecionar (principalmente em escolas técnicas) ou desenvolver projetos de melhoria em laboratórios científicos são boas opções.

Uma outra possibilidade é atuar como autônomo, realizando consultorias e projetos específicos no setor de engenharia elétrica para empresas privadas e públicas.

Faculdade de Engenharia Elétrica

São várias as faculdades e universidades que disponibilizam esse curso para os vestibulandos. Confira algumas delas:

  • Universidade Federal de Minas Gerais — UFMG;
  • Universidade de São Paulo — USP;
  • Universidade Federal de São Paulo — UNIFESP;
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro — UFRJ;
  • Universidade Federal Fluminense — UFF;
  • Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais — PUC MG;
  • Universidade Federal de Viçosa — UFV;
  • Universidade Federal de São Carlos — UFSCAR;
  • Universidade Federal da Bahia — UFBA;
  • Universidade Federal de Santa Catarina — UFSC.

Nota de corte

Uma das principais portas de entrada para quem deseja ingressar na universidade é o SISU. Por isso, é preciso ficar atento às notas de corte de Engenharia Elétrica dos anos anteriores, para que, assim, você tenha uma ideia do desempenho necessário para ser aprovado em alguma universidade.

Veja agora as notas de corte de 2019 para Engenharia Elétrica em algumas universidades:

  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais — 653 pontos;
  • Universidade Federal de São João del-Rei — 662 pontos;
  • Universidade Federal de Ouro Preto — 673 pontos;
  • Universidade Federal de Mato Grosso — 673 pontos;
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná — 680 pontos;
  • Universidade Federal de Campina Grande — 708 pontos;
  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná — 751 pontos;
  • Universidade Federal do Paraná — 744 pontos;
  • Universidade Federal do Espírito Santo — 781 pontos;
  • Universidade Federal de Minas Gerais — 758 pontos.

Grade curricular 

Composta, basicamente, por várias disciplinas que abordam matemática e física, a grade curricular de Engenharia Elétrica é formada por matérias como:

  • Cálculo Diferencial e Integral I, II e III;
  • Geometria Analítica e Álgebra Linear;
  • Fundamentos de Elétrica;
  • Circuitos Elétricos I e II;
  • Programação;
  • Equações Diferenciais;
  • Cálculo de Várias Variáveis;
  • Sistemas Elétricos;
  • Microeletrônica;
  • Física I, II e III;
  • Eletromagnetismo;
  • Fundamentos da Eletrônica Digital;
  • Eletrônica de Potência.

Estágio em Engenharia Elétrica

Para se formar nesse curso, é obrigatória a realização de estágio na área. O período mínimo, bem como a porcentagem mínima do curso concluída, são questões que variam de acordo com a universidade.

Contudo, a maior parte das universidades exige 360 horas de estágio, devendo o estudante já ter concluído, em média, de 30% a 40% do total do curso para fazer seu estágio em Engenharia Elétrica.

Concurso para Engenharia Elétrica

Muitos estudantes dessa área optam por ingressar em uma carreira pública, por meio de aprovação em um concurso público e designação para atuar em um órgão do governo (federal, estadual ou até mesmo municipal).

Para essa trajetória, há vários concursos no ramo das telecomunicações e no setor energético. Por isso, para quem quer ser um engenheiro elétrico do setor público, é preciso ficar atento aos editais publicados pelas empresas governamentais desses campos, como as fornecedoras locais de energia elétrica e atuantes no mercado de telecomunicações.

Pós-graduação em Engenharia Elétrica

Após 5 anos de graduação, para os estudantes que se identificarem com a carreira acadêmica ou até mesmo para aqueles que se interessarem mais por um determinado assunto da Engenharia Elétrica, a pós-graduação é uma boa opção.

Para tanto, é possível entrar em um programa de mestrado, o qual tem duração de 2 anos, e, posteriormente, ingressar em um doutorado, aprofundando os estudos por mais 4 anos.

Mercado de trabalho

É impensável, hoje, um mundo sem energia elétrica e sem a automação de alguns processos. Por esse motivo, a área da elétrica cresce exponencialmente a cada ano, disponibilizando para os profissionais variadas oportunidades de emprego.

Em relação ao salário de um engenheiro elétrico, é comum encontrar no mercado vagas que oferecem R$ 3.000,00 para profissionais iniciantes e ofertas de até R$ 7.000,00 para engenheiros mais experientes.

Agora que você já viu tudo sobre o curso de Engenharia Elétrica, fica menos difícil de saber se essa área é compatível com o seu perfil. Contudo, é muito importante relembrar que, para essa e qualquer outra engenharia, é imprescindível o estudante gostar muito de matemática e física; caso contrário, encontrará grandes dificuldades para finalizar o curso.

Gostou de conhecer mais sobre o curso de Engenharia Elétrica e está pensando em ingressar nessa graduação? Confira, antes, nosso post sobre teste vocacional e veja o que é preciso avaliar para tomar essa decisão!

Você pode gostar também
medicina
Leia mais

Medicina: saiba tudo sobre o curso!

Está pensando em cursar Medicina, mas ainda não sabe muito sobre a graduação? Aprenda tudo sobre o assunto para poder tomar sua decisão!