Ao buscar informações sobre a graduação desejada, especialmente o que é visto na grade curricular dela, você deve ter reparado que há uma ou mesmo mais disciplinas que abordam a ética profissional. Isso ocorre devido à importância do tema para o bom e correto exercício das mais diferentes áreas de atuação.

Porém, o interesse pelo assunto não deve ficar restrito ao ambiente universitário, viu? Desde já você pode (e deve) saber mais a respeito do tema e como ele influencia nossa rotina.

Por esse motivo, este post reúne os principais pontos para entender o que é ética profissional e como ela está presente nas relações de trabalho. Acompanhe!

O que é ética?

De forma clara e direta, podemos dizer que a ética nada mais é do que o campo de estudo, apreciação, análise e validação da moral adotada em uma sociedade. A moral, por sua vez, refere-se às condutas e normas (legais ou não) que usamos como princípios básicos para nortear as relações pessoais e profissionais dentro de uma comunidade, garantindo, assim, uma convivência e uma interação mais saudável e benéfica para todos.

É interessante entender duas coisas importantes quando se trata de ética. A primeira é que não existe uma visão universal sobre ela. A ética que é seguida e aplicada no Brasil, por exemplo, não é a mesma que é empregada na Tailândia, na Rússia ou na Noruega. Isso acontece porque o entendimento sobre moral muda de local para local, ora se restringindo, ora se tornando mais flexível. Em cada grupo social, ela sofre influência de fatores culturais, religiosos, ambientais e da percepção do que é individual e do que é coletivo.

A segunda é que a ética não é imutável. Assim como ela varia dependendo da região, ela também se transforma e evolui com o passar do tempo e a análise da história de cada sociedade.

É por essa razão que muitas percepções antigas que temos sobre assuntos como liberdade de expressão, direitos civis de minorias, saúde mental, preconceito e afins foram alteradas ou mesmo completamente substituídas por novas compreensões.

O que é ética profissional?

Como dito há pouco, a ética é abrangente e engloba as relações pessoais e profissionais. Por sua vez, a ética profissional foca no mercado e na atuação de indivíduos como representantes de categorias de trabalho. O objetivo dela é estabelecer regras específicas para evitar situações públicas de descrédito, discriminação, conivência com erros e interferências mal-intencionadas nos serviços prestados à sociedade. Entre as mais frequentes, podemos destacar:

  • preservar o sigilo sobre dados pessoais e questões de fórum íntimo fornecidos pelo cliente durante a contratação/realização de um serviço;
  • recusar o atendimento a uma pessoa não pela falta de conhecimento e expertise sobre determinada atividade profissional, mas sim motivado exclusivamente pela intolerância à diversidade política, sexual, filosófica, religiosa, cultural, racial etc.;
  • assumir funções ou propagar a realização de atividades das quais não tem conhecimento, capacitação técnica ou formação teórica suficiente;
  • expor de maneira objetiva todo e qualquer risco — de ordem financeira, material e moral — que o cliente possa sofrer durante o serviço antes de assumir e/ou representar os interesses dele;
  • ter atitudes e comportamentos públicos que vão de encontro ao que é defendido pela classe da qual faz parte, podendo, inclusive, arranhar a imagem da categoria e comprometer a atuação de órgãos reguladores;
  • prezar pelo respeito aos colegas de profissão, evitando exposições midiáticas e públicas que prejudiquem a credibilidade e o profissionalismo deles.

Ética profissional no trabalho

A ética profissional no trabalho contribui para a união e a coesão das categorias profissionais. Isso é fundamental, pois permite que elas sejam vistas e compreendidas pelos cidadãos, o Estado e a Constituição como áreas marcadas pela transparência nas relações, pela moralidade e pelo alinhamento às questões legais que regem a comunidade.

Importância da ética profissional

A ética profissional é importante por dois fatores. Para começar, ela permite que determinada área de atuação entenda como a sociedade funciona — a partir da moral vigente — e quais as maneiras mais eficazes de dialogar com os cidadãos, assegurando, dessa forma, que ela cumpra com o papel dela e promova serviços de qualidade a todos.

A outra razão é que ela evita um relacionamento entre profissional e cliente que possa trazer danos em vez de benefícios para essa segunda parte. Isto é um atendimento marcado pela:

  • morosidade do trabalho com fins de ganho próprio (financeiros ou não);
  • afronta às leis ou aos órgãos competentes responsáveis por elas;
  • violação dos direitos civis previstos e resguardados na Constituição;
  • falta de respeito à subjetividade do indivíduo (crença, sexualidade, gênero, raça, etnia, classe social etc.);
  • divulgação parcial ou integral do caso do cliente que possa gerar uma exposição negativa e até difamatória da índole dele.

Código de ética profissional

As profissões reguladas no Brasil contam com órgãos competentes nos níveis federal e regional, como é o caso dos conselhos de categoria, que são responsáveis por debater, definir, revisar, atualizar e divulgar os códigos de ética que regem a atuação do profissional em cada área. É o caso, por exemplo, de Medicina, Direito, Arquitetura e Urbanismo, Ciências Contábeis e Medicina Veterinária.

Esse material é divulgado virtualmente nos portais dessas instituições não só para aqueles que optaram pela carreira em questão, mas também para os indivíduos que requisitam os serviços deles saibam o que podem esperar e cobrar enquanto clientes — nos âmbitos social, jurídico e, inclusive, político.

Em outras palavras, ele servirá como referência durante toda a sua jornada laboral, desde o momento do seu registro no órgão até o exercício diário da carreira escolhida quando você, eventualmente, lidará com situações em que será preciso muito mais do que competência e experiência, mas sim responsabilidade, imparcialidade e empatia com o próximo.

Como mostrado, a ética profissional desempenha um papel crucial não só para a forma como o indivíduo de uma área se relaciona com os colegas de classe e os clientes, mas também para a maneira como essa mesma categoria busca apresentar (e solidificar) a própria imagem dentro do mercado.

Curtiu o artigo? Então aproveite para estender a leitura com um post especial sobre dicas essenciais para ajudar na escolha do curso!

Você pode gostar também