Estudar Direito é o sonho de muitos estudantes que estão terminando o ensino médio. A ampla oferta em carreiras jurídicas e a possibilidade de sucesso profissional e realização pessoal são os ingredientes perfeitos para atrair centenas de calouros todos os anos, em todo o território nacional.

Se você faz parte desse grupo de pessoas e está pensando em apostar nessa graduação, veja o conteúdo que preparamos sobre as possibilidades de trabalho após a formatura. Continue a leitura e fique por dentro do assunto.

O que é carreira jurídica?

O sistema jurídico brasileiro é bastante complexo. Por isso, quem opta por cursar Direito tem ampla variedade de opções em carreiras jurídicas para se especializar e desempenhar seu trabalho como advogado.

O leque de trabalhos cresce à medida que novas áreas de especialização surgem no sistema jurídico. Por exemplo, a Reforma Trabalhista exigiu que os especialistas em Direito do Trabalho se atualizassem sobre o assunto e prestassem um serviço extra. Além de advogar, agora é preciso manter os clientes a par de todas as mudanças propostas pela nova Lei.

Os concursos públicos também são bastante visados. Com o diploma e a aprovação da OAB em mãos, o bacharel em Direito pode tentar as seguintes carreiras:

carreira jurídica

Carreiras do Direito Público

Direito Público é a parte do Direito responsável por mediar as relações entre indivíduos e governo, ou aquelas que são de interesse direto da sociedade.

Compreende as seguintes áreas:

As relações que o direito público intermedia costumam ser classificadas como assimétricas e desiguais, já que os órgãos do governo podem tomar decisões sobre os direitos dos moradores de determinada localidade.

No entanto, como consequências da doutrina do Estado de Direito, as autoridades só podem agir dentro da lei. Ou seja, o governo também é obrigado a seguir leis. Por exemplo, um cidadão que vai a júri e fica insatisfeito com a decisão do seu processo pode solicitar ao tribunal uma revisão judicial, tentando uma resposta diferente.

Carreiras do Direito Privado

As carreiras do Direito Privado contribuem com a organização das relações e interesses das partes envolvidas em um processo em relação à sua vida privada.

Essas partes podem ser duas pessoas, o local de trabalho e uma pessoa ou entre indivíduos e o Estado, desde que estejam em condições de igualdade. Geralmente, envolvem assuntos de contratos de compra e venda, doações, permutas e outras questões em que os envolvidos têm autonomia para decidir se querem ou não realizar um acordo.

Sendo assim, são consideradas carreiras do Direito Privado:

Profissões do Direito

Seja no Direito Público, seja no Direito Privado, quem conquista o diploma de bacharel em Direito pode se especializar em várias áreas, como:

  • advogado criminal — especialista em leis criminais;
  • advogado de Direito Civil — Especializado em leis civis;
  • analista jurídico — trabalha para escritórios corporativos ou de advocacia, analisando as leis pertencentes ao segmento da empresa e suas operações;
  • assessor jurídico — oferece consultoria a empresas em relação a suas obrigações legais, deveres e relações legais com outras empresas.
  • jornalista jurídico — cobre casos de crimes, processos judiciais em tribunais e outros eventos em âmbito nacional ou internacional.

Onde estudar Direito?

Não é difícil encontrar uma instituição que ofereça o curso de Direito. De acordo com o portal Juristas, até 2019 eram 1.406 oportunidades de iniciar a graduação em todo o território brasileiro.

Por isso, é preciso alguns cuidados antes de escolher a Instituição de Ensino Superior ideal para completar seus estudos:

  • as melhores instituições têm os vestibulares mais concorridos, especialmente as públicas. Não se assuste com os números, nem desanime por causa deles;
  • pesquise a taxa de aprovação dos formandos no exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil);
  • avalie o que a infraestrutura do curso e da faculdade desejada oferecem. É importante que o corpo docente seja integrado por no mínimo 80% de mestres e doutores e que sejam oferecidos recursos práticos para treinamento, como os núcleos de práticas jurídicas;
  • confira no site do Ministério da Educação (MEC) se está tudo certo com o credenciamento da faculdade. Essa é uma parte muito importante, já que, sem essa liberação, o diploma pode não ter validade. Ou seja, se você for aprovado em um concurso público, não poderá assumir.

O Exame da Ordem

A OAB é uma entidade que foi fundada com o objetivo de regulamentar as atividades dos advogados brasileiros. Isso significa que, para estar habilitado na profissão e de fato advogar, você precisa prestar o chamado Exame da Ordem.

Oferecida 3 vezes durante o ano, a prova é dividida em 2 fases:

  • a primeira é objetiva, com 80 questões de múltipla escolha sobre as carreiras jurídicas;
  • os aprovados na primeira fase passam para a segunda, em que devem responder a questões abertas e realizar uma peça profissional na área escolhida.

A sugestão é que o estudante se prepare para o Exame durante todo o curso e, assim, conquiste a aprovação sem dificuldades.

Quais as características do profissional da área?

A alta demanda de cursos faz com que milhares de novos advogados entrem no mercado todos os anos. Por isso, além das características desejáveis para o profissional da área, é preciso ficar atento às novas demandas do Direito.

Os recursos promovidos pela inteligência artificial vêm substituindo algumas funções mais básicas. Hoje, as máquinas são capazes de consultar jurisprudência, fazer uma análise de doutrina ou construir peças.

Por isso, é importante que os novos advogados sejam abertos a estudar sobre tecnologia, suas mudanças e entender como funcionam esses sistemas, além de ter uma boa interpretação dos casos, afinal, o pensamento humano não pode ser substituído, nem mesmo pelos softwares mais modernos.

Dito isso, as principais habilidades desejáveis para quem estuda e se forma em Direito são:

  • interesse em realmente estudar durante a graduação para garantir o conhecimento técnico, evitandoempurrar o curso com a barriga;
  • disposição para se manter constantemente em atualização, seja em cursos, seja por meio de muita leitura, acompanhando os noticiários do Brasil e do mundo;
  • saber lidar com as próprias emoções para sustentar a pressão de estar em um tribunal, característica que pode ser trabalhada durante a faculdade;
  • capacidade e interesse de investigar e questionar;
  • conhecimento em áreas relacionadas à especialidade que deseja seguir, como por exemplo, gestão de negócios para analistas jurídicos.

Agora que você está por dentro das carreiras jurídicas que pode seguir, comece a pesquisar a Instituição de Ensino Superior ideal para os seus sonhos.

Se ainda não tem certeza sobre o Direito ser o curso ideal para você, saiba como um teste vocacional pode ajudar!

Você pode gostar também