Sendo uma das doenças que mais causa mortes no mundo, o câncer é um grande desafio para profissionais da área da saúde. E é exatamente a Oncologia que estuda os tumores e os seus respectivos tratamentos. Nessa especialidade, o médico faz o devido acompanhamento do paciente, destinando as melhores opções para eliminar os tumores.

Para você entender tudo sobre Oncologia, elaboramos este post com informações relevantes. Confira!

Oncologia: o que é?

A oncologia é uma área da Medicina que estuda e combate os diferentes tipos de tumores que atingem o organismo humano.

Atualmente, o câncer com maior incidência no Brasil é o de mama, com 86,5 mil casos, o que representa 15,3% do total. Na sequência, vem o de próstata, com 84,9 mil casos.

A situação é tão alarmante que as estatísticas revelam que um em cada cinco homens e uma em cada seis mulheres desenvolverão o câncer em algum momento da vida.

Por isso, a Oncologia é extremamente importante para tratar a doença. Ao todo, existem 30 tipos de câncer, ou seja, trata-se de uma doença que é vista como um verdadeiro desafio pelos médicos.

Entenda o significado de oncologia

Etimologicamente, oncologia é uma palavra com origem grega (onkos) que quer dizer massa, volume, tumor. Já o termo logia é referente ao estudo, ou seja, é o estudo das alterações na célula também conhecidas como tumores. Dentro da especialidade, o médico vai indicar o tratamento mais adequado para cada caso, tendo em vista que as neoplasias se diferenciam entre si.

Além do termo oncologia, esse ramo da Medicina também é conhecido como cancerologia. De maneira geral, o câncer é um termo que explica mais de 200 doenças. Todas se iniciam com o crescimento anormal e descontrolado das células, o que caracteriza as neoplasias.

Dentro desse ramo da Medicina, o oncologista é o profissional responsável pelo diagnóstico e tratamento, estabelecendo as melhores terapias que possam eliminar os tumores, como quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia, entre outras.

Oncologia pediátrica

Infelizmente, o câncer não é uma doença restrita aos adultos. Muitas crianças também sofrem com o problema e precisam de cuidados especiais. Sendo assim, a Oncologia pediátrica é uma subespecialidade da Oncologia que se concentra no tratamento dos pequeninos.

Nessa área, o médico atua no combate aos tumores em crianças e jovens, geralmente mais invasivos em comparação aos adultos. Ao serem diagnosticados precocemente, as chances de cura atingem os 70%. Nas crianças, os casos mais comuns são a leucemia e linfomas.

Assim, a oncologia pediátrica é um setor específico para os médicos que queiram atuar diretamente com o diagnóstico e tratamento das crianças.

Geralmente, os casos são tratados com quimioterapia, cirurgia ou radioterapia, mas somente o especialista poderá indicar a melhor alternativa de acordo com a necessidade do paciente.

Como se trata de uma área que requer um cuidado especial em razão de as crianças serem mais sensíveis, frequentemente há hospitais voltados a esse tipo de atendimento, com toda uma estrutura focada no universo infantil.

Além dos médicos, a Oncologia pediátrica também necessita de uma equipe multidisciplinar formada por profissionais de diversas áreas, como psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, enfermeiros, entre outros.

Nesse caso específico, a dica é que os pais façam sempre os exames preventivos em seus filhos, de olho no diagnóstico precoce. No tratamento, também são valorizadas atividades que despertem o bem-estar e a qualidade de vida dos pequeninos.

Oncologia clínica

A Oncologia clínica é mais um ramo que atua no tratamento contra o câncer, focando principalmente no aspecto medicamentoso. Dessa maneira, é uma especialidade que tem o objetivo de utilizar a quimioterapia, hormonioterapia, radioterapia, terapias alvo-moleculares, entre outras, no tratamento da doença.

Trata-se de uma das especialidades mais antigas no que diz respeito ao combate do câncer, incluindo a cirurgia. A oncologia clínica objetiva principalmente a cura da doença, mas também foca na busca pela qualidade de vida do paciente, sendo ainda utilizada como meio de diagnóstico em determinados casos.

Na especialidade, o médico também faz o acompanhamento geral do paciente e seus familiares, destinando o apoio necessário ao longo do tratamento.

O oncologista que atua nesse setor tem ainda a responsabilidade de conscientizar a população sobre a prevenção do câncer por meio de palestras ou campanhas nos meios de comunicação.

Nas orientações, o objetivo é focar nas boas práticas, como alimentação saudável, prática de atividades físicas, cessação do tabagismo e consumo moderado do álcool.

criança oncologia

Oncologia veterinária

Além dos seres humanos, o câncer também atinge cães, gatos etc. Nesse setor, o profissional que atua é o médico veterinário.

Sendo considerada a segunda causa de morte entre os pets, a doença necessita de um tratamento especial, ou seja, os profissionais têm que se especializar na área.

Nos animais, o câncer rompe o crescimento das células, levando-as à morte. Por isso, o profissional tem que encontrar alternativas que possam garantir mais qualidade de vida aos pets, aumentando as chances de cura.

É uma área de destaque na Medicina Veterinária e que também é entendida como um setor de grandes desafios pelo fato de a doença ser grave.

Entre as possíveis causas do câncer nos animais, estão genética, idade, mutações, debilidades por conta de outras patologias, entre outros.

Uma das medidas preventivas que vem tendo bons resultados é a castração tanto nos machos quantos nas fêmeas.

Para atuar na área, você terá que cursar Medicina Veterinária ao longo de cinco anos, realizando na sequência uma especialização em Oncologia.

Mercado de trabalho e profissão

Diante do aumento nos casos de câncer na população, a oncologia é uma especialidade que tem mercado. No entanto, o profissional precisa estar muito bem preparado psicologicamente falando, pois estará constantemente em contato com casos bem delicados, sem falar na morte iminente de pacientes em estágio terminal da doença.

Muito além do que o tratamento propriamente dito, existe o peso da parte emocional na condução dos tratamentos que exigem abordagens amplas, ou seja, muitas vezes o médico precisa agir como um verdadeiro orientador espiritual.

Apesar disso, a especialidade é promissora e necessita que o aluno conclua a faculdade de Medicina para depois realizar a pós-graduação em Oncologia.

É importante informar que a área necessita de muitos estudos e abordagens multidisciplinares, ou seja, geralmente médicos de outras áreas estarão na equipe acompanhando os pacientes.

Por exemplo, se o paciente tem condrossarcoma, um tipo de câncer nos ossos, o oncologista vai atuar ao lado de um ortopedista. Se for o caso de um meningeoma, o parceiro de trabalho é o neurologista.

No Brasil, apenas 1% dos médicos são especialistas em Oncologia, ou seja, trata-se de um setor que tem espaço para novos profissionais. Mais uma vez, ressaltamos que o especialista precisa saber lidar com pressões, mas que reserva momentos especiais quando uma vitória acontece.

Como a doença ainda é motivo de muitos mistérios, o setor de pesquisa também tem espaço para novos profissionais, principalmente na busca por novos tratamentos e medicamentos que possam combater os tumores.

Assim, a Oncologia é uma especialidade que pode ser a resposta para seu sucesso no mercado de trabalho.

E você, ainda está na dúvida de qual curso escolher? Então leia este artigo e não erre em sua trajetória!

Você pode gostar também