Você está sentindo dificuldade em escolher qual curso fazer na faculdade? De fato, essa é uma decisão complicada de se tomar, especialmente se você não reconhece direito suas habilidades e/ou tem uma ideia um pouco limitada sobre a realidade das diferentes carreiras.

Nesse sentido, a orientação profissional é uma alternativa excelente, não apenas para seu autoconhecimento, mas também para ajudar a planejar seu futuro de maneira mais coerente com seus objetivos.

Então, para que você compreenda melhor o que é orientação profissional, fizemos este post explicando tudinho. Dê uma olhada!

O que é orientação profissional?

Mais do que aconselhar sobre qual carreira seguir, a orientação profissional é um processo para ajudar você a enxergar profundamente características pessoais importantes, bem como do seu ambiente de convívio social e do próprio mundo do trabalho.

O objetivo é recolher uma série de dados e impressões suas, capazes de apontar um norte para sua autorrealização lá no futuro.

Por esse motivo, a orientação profissional tem a intenção de contribuir para que você alcance um conhecimento completo das próprias potencialidades, com o intuito de adaptá-las às suas escolhas profissionais.

Para isso, você contará com um conselheiro que servirá como seu guia e mediador. Por meio de uma série de ferramentas, ele vai contribuir para que você consiga escolher sua profissão e planejar os passos para o sucesso desejado com mais segurança, de acordo com a descoberta de habilidades, aptidões e interesses.

Quem deve fazer orientação profissional?

Você sabia que a orientação profissional pode ajudar pessoas em diferentes fases da vida? Sim, questionamentos sobre que rumos tomar na carreira surgem desde adolescentes que estão precisando de conselhos e dicas para a escolha do curso de graduação até adultos que desejam um direcionamento para suas carreiras. 

Veja nos exemplos abaixo como a orientação profissional ajuda pessoas em diferentes fases da vida.

Crianças e adolescentes

Alguns especialistas afirmam que quanto antes a orientação profissional entrar na vida de uma pessoa, é melhor para que suas decisões aconteçam com mais tranquilidade e menos influência, por exemplo, das escolhas dos pais.

Então, entre outras coisas, as crianças podem conhecer diferentes profissões e ocupações, bem como ir despertando interesses e habilidades. 

Já para os adolescentes, a orientação profissional pode começar antes da fase de vestibulares e Enem. Algumas escolas até mesmo começam a trabalhar a escolha da carreira lá no ensino fundamental II, por volta dos 13-14 anos.

Já no fim do ensino médio, você pode procurar por conta própria esse aconselhamento, caso sua escola não ofereça.

Eligis - teste vocacional e profissional

Estudantes universitários

Nessa fase, o objetivo da orientação profissional é alinhar expectativas profissionais à inserção no mercado de trabalho.

Podem ser desenvolvidas habilidades de relacionamento, como liderança, comunicação e proatividade, além de orientação dos passos a serem dados com o término da graduação (especializações, cursos, tipos de emprego a serem buscados etc.)

População adulta

Aqui, o trabalho é direcionado para pessoas que já têm uma carreira consolidada ou são trabalhadores que desejam ascensão profissional. Os objetivos das pessoas nessa fase são bastante distintos, como:

  • agregar novos conhecimentos e oportunidades em suas áreas;
  • autorrealização;
  • mudança de carreira;
  • mudança de emprego;
  • problemas para conciliar vida pessoal e profissional.

Qual a diferença entre orientação vocacional e profissional?

direção orientação profissional

Embora sejam expressões parecidas e até se complementem na prática, orientação vocacional e profissional não querem dizer a mesma coisa.

A orientação vocacional tem o objetivo de que você consiga reconhecer suas forças e fraquezas, habilidades possam ser desenvolvidas, sua personalidade, a maneira como lida com situações do dia.

A partir disso, é traçado um perfil e indicadas as áreas e profissões que poderiam lhe oferecer destaque.

Tanto que uma das ferramentas desse processo é o chamado teste vocacional. Esse tipo de avaliação consiste em uma série de perguntas, atividades e discussões que ajudam conselheiros, psicólogos e educadores diagnosticar o perfil profissional de um indivíduo. Em linhas gerais, avalia-se o seguinte:

  • aptidões;
  • expectativas de trabalho;
  • habilidades;
  • interesses ou hobbies;
  • metas;
  • pontos fortes e fracos;
  • realizações pessoais;
  • teste de personalidade.

A orientação profissional, por sua vez, é um processo mais longo. Também feito de maneira individualizada, dura em média de 7 a 10 sessões com um conselheiro. 

Ao longo desse tempo, o profissional vai ajudar você em diferentes pontos importantes, como forma de aumentar seu autoconhecimento e entender realmente sua inclinação para determinadas áreas

Caso você chegue lá sem referência profissional alguma, ele começará do “zero”, ao incentivá-lo a fazer reflexões sobre sua vida, quais são suas referências familiares, por que você se interessa por algumas coisas e rejeita outras etc.

A partir daí, ele vai orientar na busca por caminhos profissionais. Poderá realizar testes, mas também vai sugerir, por exemplo, que você busque informações mais detalhadas sobre o mercado das áreas de interesse conversando com profissionais atuantes, lendo materiais ou assistindo a conteúdos relevantes.

Ainda, a orientação profissional incentiva a olhar para a frente e se imaginar no futuro. Para isso, você aprenderá a desenhar os passos de sua carreira até chegar àquilo que pensa como sucesso profissional.

Dessa forma, você terá condições de decidir com assertividade, evitando equívocos posteriores.

O que a orientação profissional tem a ver com a Psicologia?

Ainda que existam cursos de orientação profissional que habilitam profissionais de diferentes áreas a atuar nesse tipo de aconselhamento ― também chamado de coaching ―, normalmente esse processo é comandado por psicólogos.

O motivo é simples. Ao ajudar alguém a aumentar seu autoconhecimento, o profissional está recorrendo a conhecimentos teóricos e práticos da Psicologia, capazes de abrir sua mente e obter respostas para questões que antes não eram claras. 

Inclusive, a dificuldade de decisão pela carreira ou pouca maturidade para reconhecer habilidades pode ser reflexo de algo muito mais profundo, que você sequer conhecia antes.

Então, o psicólogo vai ajudá-lo a enxergar essas situações e entender como torná-las algo positivo para sua carreira, ajustando-a a todos os seus potenciais.

Sendo assim, se você está sentindo que não consegue decidir o que fazer quando terminar o ensino médio, não deixe de recorrer à orientação profissional.

Ao contar com alguém experiente em aconselhar pessoas no desenvolvimento de suas carreiras, você tem muito mais chances de planejar um caminho profissional que o faça alcançar o sucesso desejado muito mais rápido do que imagina.

Por falar nisso, saiba que uma carreira bem-sucedida depende de objetivos e metas bastante claros. Vamos falar mais sobre esse assunto? Então, fique conosco mais um pouco e leia este artigo sobre o que é e como montar seu plano de carreira!

Você pode gostar também