Neste artigo, vamos apresentar tudo o que é preciso saber sobre teste vocacional. Você provavelmente já ouviu falar nessa ferramenta, que ajuda inúmeras pessoas a se desenvolverem no campo profissional. Aqui, vamos explicar alguns pontos técnicos sobre o teste, tirando suas dúvidas sobre seus fins e objetivos.

Você encontrará informações sobre o profissional que pode aplicar o teste vocacional, os motivos de podermos confiar nos resultados apresentados e o funcionamento geral da técnica. Quem sabe esta não é a motivação de que você precisava para se localizar no mercado de trabalho? Fique atento e vamos lá!

O que é teste vocacional?

De modo geral, o teste vocacional tem como intenção descobrir junto com o aplicador qual o tipo de trabalho e de carreira mais combina com você. A expressão “teste vocacional” pode se referir a diversos métodos de aplicação de uma mesma técnica, mas gira em torno de dar um retorno ao entrevistado sobre os próximos passos a seguir em relação à profissão.

O objetivo do teste é identificar atributos pessoais em um indivíduo, além de traços negativos e positivos que podem contribuir para sua carreira e satisfações pessoais. Normalmente, ocorre em sessões de cerca de 50 minutos, em que o entrevistador usará recursos como diferentes testes de aptidão e personalidade, indicando um caminho no mercado de trabalho que se adéque às suas expectativas.

Muitos jovens e adultos podem dar graças ao teste vocacional por encontrarem uma carreira ou mudarem de opção, satisfazendo um aspecto importante para a vida de qualquer pessoa: trabalhar com o que gosta.

Na prática, qualquer pessoa que tenha interesse pode aplicar um teste do tipo. Até mesmo você que está lendo pode aplicar em si, por meio de recursos como os testes online, disponibilizados em portais de educação ou dedicados à orientação profissional.

Profissionais ligados a áreas como Pedagogia ou Psicologia também oferecem esse tipo de serviço, que pode ser feito tanto presencial quanto virtualmente.

Como garantir bons resultados?

Existe uma ampla disponibilidade de testes disponibilizados tanto pela internet quanto em revistas ou mídias do tipo. Portanto, não perca tempo fazendo um teste qualquer. Dê preferência a portais que ofereçam qualidade em seu conteúdo e que se apresentem como fontes de informações confiáveis.

Outra maneira viável de garantir bons resultados é associar o resultado obtido com o instrumento de investigação a outros recursos. Você pode, por exemplo, consumir conteúdos online sobre a questão da vocação e escolha do curso de graduação. Existem muitos escritos disponíveis sobre o assunto na internet que podem ajudar a ter mais evidências do que foi diagnosticado pelo teste vocacional.

Com essas informações em mãos, você ainda pode fazer outras ações para trazer mais segurança na escolha da profissão. Entre elas, é recomendado que pesquise a fundo sobre os cursos e modalidades que surgiram como resultado do teste de vocação.

Muitos sites sobre educação disponibilizam guias aprofundados sobre o que esperar de cada curso e profissão, o que pode dar mais detalhes sobre a trajetória acadêmica e a carreira das indicações recebidas. Além disso, as páginas das próprias universidades e institutos de ensino também costumam ter descrições detalhadas sobre suas modalidades, o que ajudará a tirar dúvidas sobre a escolha final.

O importante é não se ater as palavras do resultado como se fossem verdades concretas. Por melhor que seja, qualquer teste acaba sendo muito subjetivo em seus resultados, que pode mudar com o passar do tempo ou com o enfoque dado. Abordaremos esse ponto com mais detalhes no próximo tópico.

O resultado é definitivo?

O teste vocacional é feito com um recorte de um momento em sua trajetória, sem ter o juízo de valor de uma atribuição definitiva. Ele dará indicações sobre as ocupações que mais combinam com seu perfil a partir do contexto apresentado. Não se trata de um diagnóstico definitivo, pois estamos falando de algo muito complexo: as aptidões de um indivíduo.

O retorno dado pelo profissional também não será apenas de uma profissão como resposta. Os resultados de um teste vocacional para faculdade costumam vir com algumas opções possíveis, sendo representados normalmente em um gráfico de porcentagem sobre a influência observada.

Para entender melhor, é só pensar no caso de uma pessoa que faz o teste em momentos diferentes da vida, certamente os resultados diferirão, pois as pessoas mudam e adquirem outras aptidões e interesses.

Ainda assim, você não é obrigado a escolher as profissões indicadas pelo teste. O indivíduo que escolhe esse serviço não está amarrado aos dados recebidos, podendo inclusive contrariar o resultado, escolher uma área de atuação completamente diferente e ainda sim satisfazer-se na vida profissional. O teste funciona como um indicativo de suas aptidões, mas não encerra as possibilidades de atuação.

Por que fazer um teste vocacional?

Escolher uma área de interesse é uma tarefa difícil para muitas pessoas. Sendo assim, um profissional qualificado com entendimento tanto sobre personalidade e os campos de atuação no mercado de trabalho, pode ajudar imensamente. Aqui vão alguns dos motivos que levam alguém a fazer um teste vocacional profissional:

  • dificuldades em se decidir sobre qual curso de graduação escolher;
  • nos casos de dúvidas por uma área ou de outra, o teste dará dados para fazer uma escolha mais acertada;
  • insatisfação com o que está sendo estudado atualmente, é uma forma de evitar o conformismo e dificuldade de planejar mudanças. tão comum na vida dos profissionais;
  • caso não conheça muito o estado atual do mercado e os direcionamentos possíveis para as profissões já conhecidas, pode ser uma chance de se apropriar desses conhecimentos com a ajuda do teste;
  • ele é altamente indicado para quem se angustia por não conseguir fazer uma escolha adequada sobre seu trabalho, situação que pode gerar problemas para a vida do estudante;
  • confirmar uma escolha pessoal ou impressões a respeito de determinada carreira profissional;
  • serve como um estímulo para quem não vê perspectiva alguma no mercado de trabalho e nas profissões conhecidas, que sente que não exista um nicho com a sua cara;
  • um teste vocacional é uma chance rara de olhar para si mesmo de uma maneira objetiva, levando você a conhecer mais sobre si mesmo e sobre seus potenciais.

Quem pode fazer?

De maneira geral, qualquer pessoa interessada pode fazer um teste vocacional. Ele é mais indicado para quem esteja pelo menos no ensino médio ou acima disso, pois já está prestes a escolher um rumo para sua carreira. Ao mesmo tempo, ele também é indicado para quem já tem alguma formação, mas se sente perdido ou insatisfeito com o contexto atual de trabalho ou estudo.

Quando observamos as transformações do mercado de trabalho nos últimos tempos, é possível dizer de uma abertura cada vez maior sobre as diferentes possibilidades de atuação.

Antigamente, as profissões eram passadas de pais para filhos ou então havia poucas opções disponíveis para escolher um trabalho. Não havia necessidade de pensar sobre os caminhos a escolher na carreira, pois eles eram muito mais demarcados.

Atualmente, com o avanço das universidades e multiplicação das demandas, existe um oceano de escolhas possíveis para decidir “o que você quer ser quando crescer”. Ao mesmo tempo, as mudanças tecnológicas e econômicas acontecem em tal velocidade que fica difícil até mesmo acompanhar quais são as profissões em que você pode trabalhar e o caminho para chegar lá.

Sendo assim, o teste vocacional surge como um instrumento importante no sentido de alinhar as possibilidades com as expectativas e aptidões de cada indivíduo. Muitos dos que se submetem ao teste chegam a indicações de ocupações que sequer sabiam existir. É uma maneira interessante de conhecer quais são os trabalhos que têm demanda na sociedade e que, ao mesmo tempo, combinam com você.

Como funciona um teste vocacional?

Depende do caminho escolhido pelo estudante. Na internet, existem versões online dessa ferramenta, que podem ser tanto gratuitas quanto pagas. Para os testes gratuitos, o que costuma-se exigir é que você faça um cadastro no portal em questão para poder ter acesso à área de teste vocacional. Nesses modelos de teste, você responderá a um inventário de perguntas, que podem ou não ter um tempo de duração e, a partir de suas respostas, o próprio site dará o resultado sobre suas aptidões.

Seja qual for a opção escolhida entre essas, lembre-se de levar a sério a realização do teste. Escolha um momento do dia em que esteja se sentindo bem e disposto, preferencialmente em um ambiente silencioso. A maior parte dos instrumentos disponibilizados não coloca um teto no tempo que você tem para responder às questões.

Ainda assim, recomenda-se que você responda à avaliação sem muitas pausas ou dividindo o processo em etapas. Para que você tenha resultados mais confiáveis, é bom prestar atenção a cada uma das perguntas e respondê-las honestamente.

Mesmo que não esteja satisfeito com um ou outro traço seu, não adianta omitir essas informações para o teste avaliativo, pois isso apenas gerará resultados pouco confiáveis e diferentes da realidade. O objetivo do teste, na verdade, é descobrir seus pontos fortes e fracos e, a partir disso, buscar um caminho mais fácil e prazeroso no mundo do trabalho,

Já no caso dos testes presenciais, ele se baseia em uma ou mais conversas entre o profissional e o entrevistado, normalmente complementadas com recursos como questionários ou testes e inventários de personalidade.

Para que serve o teste vocacional?

O principal objetivo do teste vocacional é inferir quais domínios mais combinam com suas aptidões, de maneira objetiva. Isso ajudará a decidir seu futuro, tanto do ponto de vista da formação educacional quanto na carreira em si. Essa é uma pergunta que tem confundido cada vez mais pessoas, por conta da multiplicidade de caminhos a serem tomados.

Outro ponto importante é a questão do tempo para o estudante. Todos sabem que um curso de graduação dura em média quatro anos. Muitos alunos acabam se mantendo em cursos que não são muito satisfatórios para si mesmos e o fazem por diversas razões, como para agradar a pais e responsáveis, por acreditarem que de fato aquele é o melhor caminho — apesar dos evidentes problemas no percurso —, por ouvirem dizer que a remuneração no campo em questão é alta etc.

Sobre o exemplo dos pais: sabemos que existe hoje uma liberdade maior para os filhos em termos de escolhas pessoais e profissionais; ao mesmo tempo, ainda é comum que pais e responsáveis pressionem os filhos para escolherem uma ou outra carreira. Quem não conhece o caso de uma família que tem tradição em Direito ou Medicina e quer a qualquer custo que os herdeiros continuem a seguir esse ofício da família?

Nesses casos, um teste vocacional pode ser de grande ajuda. Ele representa um ponto de vista externo e profissional que pode ancorar uma decisão muito mais acertada para o jovem. Como essa resposta virá de um ponto de vista científico e com dados, fica muito mais difícil de argumentar que o melhor caminho para os filhos é ser médico ou advogado, assim como os pais e os avós.

A questão financeira também acaba por pesar demais nas escolhas dos novos profissionais. Existem profissões populares, como as citadas acima, por receberem quantias vultosas de dinheiro: bastaria cursar a faculdade e encontrar um trabalho depois. De fato, não é mentira que um médico tem acesso a um salário inicial e um teto salarial maiores do que muitas profissões, mas existem muitas outras carreiras que também o fazem.

Obviamente, não tem nada errado em escolher a carreira de Medicina, mas isso só faz sentido se essa for uma profissão que combina com você. Imagine alguém que tem muita dificuldade em ver sangue, trabalhar com peças na aula de anatomia, injeção etc.

Esse indivíduo provavelmente terá muita dificuldade nas primeiras aulas do ciclo biológico das disciplinas e pode acabar até abandonando o curso, gerando todo um custo mental e financeiro. Um exemplo como esse é mais do que uma anedota, pois de fato acontece com frequência nos cursos de Medicina.

Pensando por outro lado, existem inúmeras carreiras interessantes e não tão populares que podem propiciar compensação tanto do ponto de vista financeiro quanto pessoal. Um curso como o de Biblioteconomia é um dos mais fáceis de entrar em qualquer universidade pública, o que causa uma impressão de que seria uma carreira com menos valor por conta disso.

Pelo contrário, é uma profissão altamente valorizada do ponto de vista dos salários e, justamente por conta da falta de mão de obra qualificada, sobram vagas em empresas e instituições para fazer o trabalho de arquivamento.

Sendo assim, um teste vocacional pode realmente fazer toda a diferença na experiência profissional do indivíduo. Podem ser economizados anos de frustração e arrependimentos futuros, principalmente quando há muitas dúvidas por parte do estudante sobre que caminho escolher. O teste poderá dizer se você tem aptidões ou não para cursar aquilo que está pensando em fazer, facilitando essa difícil escolha e dando mais segurança para o estudante entrar no ensino superior.

Vantagens do teste vocacional

Neste tópico, listaremos algumas vantagens obtidas ao fazer um teste vocacional. Existe um proveito muito maior do que receber uma lista das profissões que combinam com você, sendo uma chance de se conhecer melhor a partir de um olhar externo e profissional. Aqui vão elas:

  • dá oportunidade de conhecer suas aptidões gerais e específicas, além das afinidades ou possíveis dificuldades no campo do trabalho;
  • revela o funcionamento sobre outros aspectos de sua personalidade que influenciam no ambiente de trabalho: como lida com os afetos, modos de sociabilidade e interação interpessoal, atenção etc.;
  • ajuda a decidir onde investir seu processo de qualificação, qual curso de graduação escolher, especializações ou cursos de formação livre;
  • mapeia seus pontos fracos, o que pode ajudar a deixar de investir em ocupações que podem ser difíceis de serem seguidas;
  • caso esteja em dúvida entre muitas profissões, vai te ajudar a diminuir o escopo de suas possibilidades, dessa forma fica mais fácil de fazer uma pesquisa detalhada sobre o assunto;
  • te dá uma chance de conhecer melhor o estado do mercado de trabalho e quais são as profissões que estão se destacando para sua área de interesse;
  • a depender no nível de profundidade do teste, você pode obter informações até mesmo sobre o tipo de empregadores ou empresa que mais combinam com você;
  • através de perguntas indiretas sobre suas experiências presentes e passadas você obterá direcionamentos importantes sobre quais passos tomar para o futuro;
  • pode te ajudar a sair de um momento de crise e incertezas, apontando para características e potenciais acerca de si, dos quais muitos vezes o próprio estudante não se dá conta;
  • aumenta sua empregabilidade, pois te tornará muito mais confiante sobre as áreas e ocupações que consegue atuar, além de conhecer melhor suas próprias falhas, o que pode gerar uma maior segurança para fazer entrevistas de emprego e processos seletivos

Teste vocacional X teste de aptidão

Existe uma diferença importante entre teste vocacional, teste de aptidão e orientação profissional. É possível que sejam utilizados como parte de um mesmo processo, sendo realizados por um mesmo profissional. Quando falamos em teste vocacional, estamos nos referindo ao instrumento propriamente dito de investigação, normalmente feito a partir de um ou mais questionários.

Já no teste de aptidão, o foco está em identificar as habilidades presentes ou latentes em determinado indivíduo, que podem favorecer sua entrada em determinadas áreas do mercado de trabalho.

Funciona como um teste de personalidade, que levantará, a partir de um inventário de perguntas, pontos distribuídos em categorias como: trabalho com números, capacidades afetivas e inter-pessoais, proatividade, habilidade com informática etc.

Já a orientação profissional refere-se a um processo de aconselhamento psicológico, mais próximo da prática terapêutica comum. Nesse outro formato, o psicólogo investigará, do ponto de vista qualitativo, a partir de algumas sessões com o cliente, quais são as aptidões que mais se adéquam às suas potencialidades. A orientação ocorre em um tom de conversa e pode produzir informações mais aprofundadas sobre a personalidade do cliente.

Mesmo no caso da simples aplicação de um teste vocacional, o profissional responsável o fará a partir de um olhar analítico e contextual.

Não se trata apenas de entregar um questionário para o estudante responder e depois conferir os resultados, se fosse assim era possível que a pessoa o fizesse sozinha. Além da aplicação em si, deve haver uma leitura e entendimento daquelas informações a partir do diálogo e da compreensão sobre quem é o cliente que está sendo atendido.

Com a leitura, você pôde perceber um pouco da história, do significado e a importância de um instrumento como o teste vocacional. . A experiência de passar por uma avaliação como essa pode ser verdadeiramente transformadora na trajetória profissional de um indivíduo, portanto é evidente que ele tem uma utilidade, sem oferecer riscos ou problemas.

Para além da escolha de um site ou portal para fazer o site, é importante também que as técnicas e recursos utilizados tenham algum respaldo científico. Só assim será possível dizer que os dados coletados e as respostas obtidas não são apenas impressões pessoais do técnico, mas sim um resultado amparado por um estudo legítimo. Antes de fazer o teste em si, é interessante dar uma lida na forma como o site em questão apresenta o instrumento e que tipo de embasamento ele carrega.

Agora que já conhece mais sobre testes vocacionais, que tal saber mais sobre a orientação profissional da Orientu? Temos informações valiosas sobre cursos e faculdades para ajudar na sua escolha!

Você pode gostar também